Sentimos mais a tristeza de uma perda do que a alegria de um ganho de igual valor

financas-outubro-19

Você já ficou muito triste ao perder algo? Agora imagine a alegria de ter ganho essa mesma coisa…. Será que as intensidades seriam equivalentes?
Estudos indicam que sentimos muito mais a perda do que o ganho de um determinado valor. Pois é… Essa é a Teoria da Perspectiva (ou Teoria do Prospecto), em que ganhos e perdas de igual valor não são sentidos de forma equivalente. Temos a tendência de encarar a dor de perder R$ 100 com uma intensidade maior do que a alegria de ganhar esse mesmo valor.
Para ter a mesma intensidade de alegria no ganho do que a tristeza da perda, o valor precisaria ser aproximadamente o dobro (2,25 vezes na verdade). Ou seja, a alegria de ganhar R$ 200 (ou R$ 225, para ser mais precisa) seria praticamente equivalente à tristeza de perder R$ 100.
Porém, os ganhos e perdas são definidos a partir de um ponto de referência, que pode ser o valor de entrada em um investimento ou o máximo que foi atingido, por exemplo, sendo que cada indivíduo percebe de uma forma.
Para aqueles que encaram da segunda maneira, o simples fato de seu fundo de ações estar hoje com um valor mais baixo do que na última vez em que foi verificado, pode gerar uma sensação horrível de perda, já que o seu ponto de referência era o maior valor observado na última consulta ao extrato. Porém, se o valor estivesse maior, em quantia equivalente, essa alegria não seria percebida de forma tão intensa assim…
Isso ajuda a explicar por que algumas pessoas têm tanta dificuldade em aplicar recursos em investimentos de risco.
E então… Você concorda com a Teoria da Perspectiva? Você também sente perdas e ganhos equivalentes de forma desproporcional?

Leticia Camargo é economista, planejadora financeira pessoal e possui a certificação CFP® (Certifi ed Financial Planner). Email: leticia@leticiacamargo.com.br.