Até quando?

inclusao-social-abril-19

A palavra já não soa estranha aos nossos ouvidos, mas peço sua atenção para entender o significado de acessibilidade em termos técnicos, previsto pela Lei Brasileira de Inclusão: “A possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como de outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privados de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida”. Entretanto, verifique as condições de acessibilidade da rua de sua casa ou do local onde trabalha – como alguns dos inúmeros exemplos – e poderá constatar a discrepância entre teoria e realidade. Mas qual é o problema afinal? Por que a acessibilidade ainda não é tangível a todos? Destaco as causas mais relevantes, como a inércia do Poder Público, falta de iniciativas do Legislativo, fiscalização precária, inaptidão de muitos profissionais da área, e até o fato de pessoas com deficiência e/ou com mobilidade reduzida não deterem conhecimento sobre seus próprios direitos. É uma verdadeira utopia pensar em articular ações, programas e serviços eficazes que promovam a efetiva inclusão social desse público, sem que se tenha acesso à comunicação e informação, espaços públicos, equipamentos urbanos, transportes, entre outros. Sejamos francos? O Brasil está extremamente atrasado se comparado a outros países, inclusive a alguns da América Latina, o que é vergonhoso. Encerro esse artigo com uma última reflexão: até quando?

Juliana Teixeira, consultora em inclusão e acessibilidade
julianateixeira@acaoeinclusao.com.br