CONSELHOS SÃO GRÁTIS…

editorial-agosto-2018

…É por isso que ninguém os aceita? O leitor, com certeza já manuseou um sem número de obras contendo provérbios, sobre as mais diversas situações em que a humanidade carece de conselhos; de fato nossa vida no mundo é tão confusa que não sabemos que rumo seguir para encontrar nosso verdadeiro destino.
O curioso é que atualmente, além das obras de filósofos, educadores e profetas, contamos com mais uma colaboração também gratuita e fornecida em domicílio: refiro-me ao que recebemos de amigos, conhecidos, e todos quantos possuem o número do nosso celular. Você acorda pela manhã e, sem o seu conhecimento encontra o seu aparelho invadido de mensagens para todos os gostos, incluindo algumas que nos causam mal-estar. Enfim, ali está, diante de nós, um manancial de bons conselhos, tudo floreado com lindas imagens. O que significa, afinal, tanto interesse em nos mostrar caminhos coloridos? Será que a pessoa que nos envia essa mensagem aplica em sua vida os conselhos com os quais nos presenteia? Se todas as pessoas aplicassem pelo menos metade do que aconselham aos outros, tenho a certeza absoluta de que a vida seria bem mais feliz para todos. Convém leitor, pelo bem de nossa sanidade não nos esquecer desta terrível submissão a uma mentira com ares de verdade profunda:” Faça o que digo, mas não faça o que faço.” Incrivelmente o nosso egoísmo aceita e segue com prazer, em substituição à coleção de frases bonitas que esvoaçam por aí sem destino por séculos e séculos.
Essa situação, ao que tudo indica ratifica o que se afirma: “não existe almoço grátis”, ou seja, tudo que leva o carimbo “grátis” é falso; portanto, como os conselhos são grátis, não tem valor! Compreender como o ser humano interpreta as coisas é um trabalho que está fora de qualquer alcance. Por fim, quem sabe se isto nos consolará: “Nós aprendemos a ministrar conselhos e sabedoria aos outros, mas somos incapazes de aplicá-los em nossa própria vida”. Vamos meditar a fim de verificar se isso é verdade? Não vejo outro caminho de concluir minha crônica deste mês!

Luiz Santantonio
santantonio26@gmail.com